Menu das páginas
Rss
Menu das categorias

Publicado em 19/06/2017 em Destaque

Biblioteca Pública de Pernambuco

   Biblioteca site

Uma biblioteca de 165 anos. Já funcionou em colégio, em convento e até na cadeia. Conheça um pouco da história da Biblioteca Pública de Pernambuco

Histórico

A Biblioteca Pública de Pernambuco foi criada durante a administração do Conde da Boa Vista, em 1841, mas só teve a sua inauguração, na sala de desenho do Liceu Pernambucano, no dia 5 de maio de 1852, através da Lei nº 293, obrigando as tipografias a lhe remeterem um exemplar de todas as publicações editadas. O seu primeiro regulamento foi aprovado e publicado em 1874.

À época de sua criação, a literatura em Pernambuco residia no Gabinete Português de Leitura nas estantes particulares, nos compêndios e na bibliografia da Faculdade de Olinda.

A biblioteca passou por várias mudanças, desde então. Ela foi instalada no Colégio das Artes (na rua do Hospício), depois mudou-se para o convento do Carmo, em Olinda, e veio depois para um prédio situado na praça da República.

 

Em 1930, a biblioteca foi transferida para o prédio de número 371 da rua do Imperador, onde, desde 1731, funcionava a Cadeia Nova, a segunda cadeia do Recife, e que, posteriormente, abrigou a sede do Senado da Câmara – o Fórum de Pernambuco.

 

Em março de 1975, por não conseguir mais comportar os seus 70.000 volumes, a Biblioteca Pública mudaria novamente. Da rua do Imperador, dessa vez, ela veio para um novo prédio situado no parque 13 de maio, no bairro de Santo Amaro, local onde se encontra até o presente. No lugar da antiga biblioteca, instalou-se o Arquivo Público Estadual.

 

Posteriormente, estabeleceu-se no Prédio do Arquivo Público Estadual, na Rua do Imperador, até que, em 1971, no governo de Nilo Coelho, foi transferida, definitivamente, para sede própria, em prédio com instalações específicas e dentro das normas da moderna arquitetura. Nessa ocasião, passou a denominar-se Biblioteca Pública Estadual Presidente Castello Branco. Mas em 1° de março de 2002, através do Decreto n° 24.075, resgatou o seu nome original de Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco.

 

A Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco (BPE) é uma das mais ricas do Brasil em edições raras, constituindo um importante patrimônio pelo seu vasto acervo que inclui obras dos tempos coloniais e do império,  do período holandês no estado, sobre história, economia e de outras classes. Esse vasto acervo também preserva jornais antigos que circulavam no Recife no início da imprensa periódica local.  Editou quatros catálogos de seus livros publicados, relacionando obras a partir do século XVI. Tudo isto representa um recorte do rico acervo da Biblioteca Publica do Estado de Pernambuco, estimado, em 270 mil livros, e cerca de 370 mil volumes de periódicos, com o compromisso de zelar e disponibilizar esse legado cultural para as gerações atuais e futuras, cumprindo, assim, a sua missão secular de provedora do conhecimento e da preservação dos tesouros da humanidade.

 

“É com muita satisfação e alegria que celebro esses 165 anos. Eu costumo dizer que essas datas sempre são uma oportunidade de confrontar o passado com o presente e fazer uma perspectiva do futuro. Nossa biblioteca é uma das mais antigas e tradicionais do país, possuímos o segundo maior acervo do Brasil e esses 165 anos é celebrado também com a perspectiva de modernização da nossa estrutura, com o foco em atender a modernidade e difundir, através da tecnologia, conhecimento e informação. Foi um evento lindo, cercado de emoções e momentos especiais. Agradeço também a todos os nossos parceiros, são eles que nos ajudam a manter viva a nossa biblioteca, principalmente, a história de Pernambuco”, ressalta Roberta Alcoforado, gestora da instituição.

Em se tratando de jornais, é possível se encontrar o Diário de Pernambuco desde o dia 15 de janeiro de 1828; o Jornal do Commercio, com exemplares anteriores à Revolução de 1930; e os primeiros exemplares dos jornais do Estado mais antigos surgidos em 1821, como Aurora Pernambucana, Segarrega, e Relator Verdadeiro.

No que se refere à seção de manuscritos, o acervo contém cartas e ordens régias, sesmarias, ofícios do Governo, patentes e atos de Câmaras Municipais desde a segunda metade do século XVII (época da Capitania ou Província). E, presentes na seção de raridades, existem livros raros, em suas edições originais, concernentes à História do Brasil colonial e à Geografia.

A Biblioteca possui seções de Coleções Especiais (periódicos, manuscritos, iconografia, obras raras), Referência, Atividades em Grupos, Extensão, Audiovisuais e Música, Biblioteca Circulante e Biblioteca Infantil.

 

A Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco funciona na Rua João Lira, S/N, Santo Amaro, Recife- PE. Contato: (81) 3181-2642

Foto do evento de comemoração:

BPE

Fonte: www.biblioteca.pe.gov.br/

Fonte: http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com_content&view=article&id=473&Itemid=1