Menu das páginas
Rss
Menu das categorias

Espaços e mobiliários

 

15 recomendações para a definição e organização de espaços em bibliotecas públicas:

1 – Uma biblioteca pública deve ter no mínimo de 80 m2;

2 – A disposição dos setores e móveis da biblioteca deve ser definida a partir de sua planta baixa;

3 – Os espaços devem ser amplos visando a separação de áreas com finalidades diferentes, permitindo acomodações confortáveis para os usuários proporcionando um ambiente agradável, um local aprazível onde seja bom permanecer;

4 – As coleções que compõem o acervo não devem ser colocadas muito próximas às janelas, ou diretamente expostas ao sol, evitando o possível extravio de obras e a sua deterioração;

5 – Materiais coloridos dão vida à biblioteca. Por exemplo: uma parede de cor diferente, ou mobiliário com cores específicas para diferentes áreas e serviços;

6 – A temperatura entre 16° e 19°C resulta em substancial aumento da longevidade do acervo;

7 – Além da alta temperatura, outro grande inimigo dos livros e dos usuários é a umidade que provoca mofo. Existem aparelhos elétricos que desumidificam o ar. Na sua falta, uma sala bem ventilada e um acervo tratado minimizam o problema;

8 – A temperatura de 22° a 24°C é considerada, pelos padrões internacionais, ideal para o conforto dos usuários e da equipe de trabalho;

9 – Móveis de aço, além de serem mais resistentes para armazenagem, têm maior durabilidade evitando a umidade e a infestação por insetos como cupim, broca, etc. A utilização de móveis de madeira depende de tratamento contra a ação de insetos;

10 – Móveis coloridos contribuem para que o ambiente fique ainda mais agradável;

11 – A criatividade e improvisação para aproveitamento dos recursos locais é muito útil para mobiliar a biblioteca, ex.: livros infantis de fácil leitura em caixas no chão (fundo da caixa revestido de material antiderrapante) são considerados brinquedos pelas crianças, incentivando assim seu uso desde a infância;

12 – A utilização de materiais e design nos móveis que remetam à cultura e produção locais propiciam um ambiente orgânico e de identificação com o usuário. A opção por estes materiais pode contribuir para a sustentabilidade de comunidades em situação de risco e do meio-ambiente local;

13 – Outros móveis que contribuem para o funcionamento: balcão de empréstimos, bibliocanto, carro para transporte de material bibliográfico, fichário, guarda-volumes ou escaninhos, porta-jornais, portão eletrônico;

14 – Alguns equipamentos são essenciais: fones de ouvido e aparelho de TV colorido ligados a computadores com kit multimídia e antena (canais abertos e pagos), impressora, scanner, equipamentos para deficientes visuais, telefone, fax, ar condicionado, desumidificador, bebedouros, relógio de parede, entre outros;

15 – Internamente, a biblioteca deve dispor de placas de sinalização dos espaços com indicações técnicas e quadros de informações, normas de conduta do usuário e avisos sobre atividades da biblioteca.